… Quem for covarde e medroso, que volte e vá-se apressadamente das montanhas de Gileade. Jz 7.3

O povo de Deus estava oprimido sobre o julgo da servidão, os midianistas os escravizaram em suas próprias terras, um povo que outrora fora liberto da escravidão no Egito, uma nação que vivera a provisão do Onipotente no deserto, se encontrava derrotada, desanimada e humilhada.
O capitulo seis de juizes nos diz que a causa de tantas derrotas era dos pecados e iniqüidades cometido pelo povo, fruto de suas escolhas, a nação santa tinha feito o que era mal aos olhos do Senhor.
Por causa da opressão, o povo guerreiro e vencedor estava construindo covas, cavernas e fortificações. Acovardavam-se, não tinham esperança, tinham medo, cada um cuidava da sua própria vida, se preocupavam apenas em como iriam proteger seus mantimentos e sustentar a sua família.
Meu, estamos vivendo uma situação idêntica por causa de nossa hipocrisia. Ficamos presos em nossas casas, que chamamos de igreja, preocupados em como proteger nossos “irmãos”, enquanto o diabo tenta destruir a santa geração. Ele se infiltra em nossas igrejas com pecados que vão desde a “pequena mentira” até a prostituição, adultério e homossexualismo, e ele quer destruir os guerreiros no ninho! É cômodo continuar cantando e orando em quatro paredes, é fácil olhar para as investidas do diabo e dizer: “ah… este mundo esta perdido mesmo… o diabo é muito sujo!”.
O pecado entrou de tal maneira em nossa comunidade, que não temos forças para guerrear, nos acovardamos, somos agentes secretos de Cristo, não levantamos a bandeira do evangelho, nem mesmo declaramos que só Jesus é Senhor. O diabo com seus grupos homossexuais assumem quem eles são, e a mentira e o pecado estão destruindo as nações, enquanto nós ficamos preocupados em como sustentar a nossa filosofia egoísta de ser crente.

Essa é a hora dos verdadeiros guerreiros se levantarem! Sim, isto mesmo, guerreiros! Por que, só é adorador quem não foge da batalha, nossa missão nesta terra não é apenas adorá-Lo com canções e expressões, mais sim com atitude de guerreiros, a bíblia diz que Davi foi um homem segundo coração de Deus, ele sim foi um adorador encontrado por Ele, porque era um adorador que não fugia da batalha.
As nossas atitudes dizem quem nós somos, e para onde vamos, pelos frutos sabemos a qualidade das árvores, conseqüentemente dizem se serão podadas, para dar mais frutos, ou cortadas para serem queimadas no fogo.

Devemos tomar como exemplo as atitudes de Gideão e seu exército. Em Juízes 7.22 diz: “Tocando, pois, os trezentos a trombeta, o Senhor tomou a espada de um contra o outro, e isso em todo o arraial…”. A obediência ao Senhor resultou em vitória para o povo. No contexto, é válido lembrar que houve uma seleção na qual as próprias atitudes dos pré-selecionados decidiram o caminho que iriam seguir. Somente os que realmente se importavam tiveram o privilégio de vencer uma guerra que por mãos humanas era impossível de ser ganha. Isso foi a manifestação do poder de Deus.

Meu irmão, o grande dia está chegando, e nós temos a responsabilidade de pregar em tempo e fora de tempo, teremos que dar conta de tudo que foi colocado em nossas mãos, todas as pessoas que passaram por nossas vidas, por todas as nossas vaciladas. É tempo de mostrar ao mundo o Deus que nós servimos.

Faça parte dos trezentos!

Zezinho, Libertu’s


 Tantas pessoas estão tristes com Deus. Tristes porque não recebem “uma benção” que tanto têm pedido. Não recebem uma resposta às suas perguntas. Não recebem a solução para o seu problema. Não recebem um aplauso por suas obras. Não recebem isso, não recebem aquilo. São pessoas entregues muitas vezes ao egocentrismo, que não enxergam nem agradecem a Deus por tudo que Ele faz.    

O que acontece é que existe um veneno que afetou a igreja  de uma forma inexplicável: o comércio da fé. Você ora um pouquinho, e Deus te dá aquilo que você pediu. Você faz uma boa obra, participa de algum ministério e sua “dívida” com Deus  tá paga. Muitos se sentem presos ao ministério, e quando saem do mesmo, estão agora livres pra pecar, porque assim ninguém vai julgar. Isso é indício de uma cultura hedonista, é o prazer pelo prazer, presente e atuante no sistema decaído em que vivemos.  

Um belo exemplo disso são os hábitos  da nossa sociedade. O “beber socialmente” é difundido até entre os cristãos, rasgando as palavras de Paulo aos coríntios (1Co. 8) e pisando no testemunho daquele que dá a vida. O “ficar”, em que as pessoas tentam preencher seus vazios com uns beijos, uns amassos, um tempinho juntos, pra suprir a carência. Na verdade isso destrói seu caráter, e a pessoa se sente mais vazia ainda que antes. É duvidar do plano de Deus e tentar resolver sozinho. É negar Deus como companheiro. O hábito mais difundido é o de falar besteira. Infelizmente, muitos cristãos também fazem isso. É como se você tivesse um filho, e ele toda vez que conversasse com alguém, isso cortasse seu coração pelas palavras dele. 

Todas essas coisas são alguns exemplos de coisas que impedem a ação de Deus. A Bíblia fala que NADA pode nos separar do AMOR de Deus. Significa que não importa o que fizermos, Ele sempre nos amará, da mesma forma. Só que também fala que a única coisa que faz separação entre nós e Deus é o pecado. Somos livres pra escolher, e o Senhor é justo o suficiente para nos dar a consequência que merecemos. Assim, não recebemos o que desejamos, o que precisamos, por nossa própria atitude pecadora, hedonista. 

 O que Deus deseja é uma coisa simples: “Dá-me o teu coração”(Pv23.26).Seu coração é a fonte dos seus desejos. Você decide através dele. Sua razão e sua emoção passam por ele. Só através do seu coração, você será capaz de alcançar a Deus. É a contramão do mundo.  

 Simples assim.  

 Pense nisso.  




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.